énois

Como construir uma política de uso de Inteligência Artificial na sua redação

Tempo de leitura: 2 minutos

Objetivo

O avanço da Inteligência Artificial (IA) no nosso dia a dia é algo real e já faz parte do cotidiano do jornalismo. Dentro das maiorias das redações, o debate sobre o uso de IA vem tomando espaço e demanda políticas de uso e parceria entre nós e as suas diversas ferramentas.

Referência

Agência Pública e o Núcleo desenvolveram suas políticas de uso de Inteligência Artificial dentro das redações, elas consolidam como e quando os jornalistas podem usar a IA em alguns eixos como produções de reportagens, vídeos, áudios,  publicidades e nas redes sociais. As políticas foram feitas para serem adaptadas e atualizadas recorrentemente.

Resultados

Resultados

  • Maior transparência com quem consome o seu conteúdo
  • Regularização do uso da IA na redação
  • Nossa relação com a tecnologia no campo do jornalismo

Passo a passo

Promovendo conversas na redação sobre inteligência artificial 

O primeiro passo para qualquer criação de políticas internas é conversar com as pessoas que compõem a  redação. Na conversa, você pode colher as experiências que os jornalistas já tiveram usando a Inteligência Artificial, medos e  dúvidas. Colete todas as informações das rodas, elas podem ajudar na criação da política.

Levantando quais ferramentas podem ser usadas

Nesta mesma conversa sobre IA, é importante compilar quais tecnologias a equipe já usa e como são usadas  fora e dentro da redação, essa lista vai ajudar a definir como as tecnologias podem ser usadas ou não dentro da  redação. 

Estudando a Inteligência Artificial para redações

É preciso estudar como a Inteligência Artificial funciona, seus benefícios e quais cuidados devemos tomar é necessário em um campo tão novo. A sua redação pode criar um espaço que promova o estudo sobre as novas tecnologias ou você editora/gestora e repórter pode estudar e compartilhar o aprendizado dentro da redação. 

Defina quais são os trabalhos que podem ter o apoio da IA

O uso da IA no jornalismo não é uma substituição do profissional, mas um apoio para que o mesmo consiga trabalhar com qualidade e com mais tempo para focar em atividades que exigem a criatividade humana. E lembre que todo o trabalho da Inteligência Artificial precisa ser revisado e checado. 

Para definir onde a IA vai ser usada, você precisa ter em mente quais são os produtos da sua organização, reportagens, vídeos, podcast, redes sociais, propaganda e anúncios. Depois desenhe as etapas de produção de cada um desses produtos já em mente onde o uso da inteligência é confiável sem descaracterizar a produção humana. 

Ex: Na Agência Pública os repórteres podem usar a IA em tarefas como análise de dados, resumos e análise de padrões, mas nunca na escrita de textos e reportagens que serão publicadas na página. Assim, valorizam a originalidade humana. 

Informe o uso de Inteligência Artificial quando ela foi muito necessária para a sua produção

Quando a ferramenta que você usou desempenhou um trabalho profundo lembre-se de criar um espaço na sua reportagem para compartilhar que a IA foi usada, isso é importante para criar uma relação de transparência com o seu público.

A política de uso da IA deve ser atualizada e compartilhada

É muito importante a sua audiência saber que a sua redação entrou na era da Inteligência Artificial, compartilhe a política de uso e esteja disposto a utilizá-la conforme as ferramentas surgem e de acordo com a necessidade da sua iniciativa.

.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Pular para o conteúdo