Como montar um questionário aberto ao público para encontrar grandes histórias

Tempo de leitura: 3 minutos
Objetivo
  • Escutar a comunidade que se pretende servir e desenvolver pautas e reportagem a partir dela
  • Montar um questionário aberto ao público
  • Empoderar comunidades locais por meio do jornalismo 
  • Conseguir encontrar casos que são poucos divulgados na mídia ou de pouco conhecimento como um todo
Referência

A ProPublica é uma corporação sem fins lucrativos baseada em Nova Iorque, nos Estados Unidos. Em 2008, iniciou um núcleo de redação especializado em escuta do público que realiza questionários com um espaço para contação de histórias vinda da própria comunidade. As investigações do ProPublica são conduzidas pela equipe local de repórteres, e as histórias resultantes são repassadas para redações parceiras como CNN, New York Times, National Public Radio, entre outras.

Resultados
  • Aumento de 41% da equipe em três anos
  • Time que cuida do engajamento cresceu 5 vezes em três anos
  • Proximidade com diversos públicos
  • Parcerias com os maiores veículos de comunicação americanos
  • Vencedores de inúmeros prêmios pelos materiais investigados e produzidos 
Como medir 
  • Por meio do número de engajamento e envio de pautas mandadas pelo público externo
  • Dados referentes ao número de investigações e publicações geradas após a criação do questionário
  • Aumento de procura de parcerias e republicações 
  • Premiações 
Passo a Passo

Texto introdutório. Para montar um questionário aberto ao público, faça um texto introdutório no seu questionário, explicando os motivos para criá-lo, quem poderá contribuir e quais as outras formas de entrar em contato com a equipe.  

Delimitar os temas. É fundamental explicar ao público – de forma simples e objetiva – que assuntos e informações o meio de comunicação espera receber, para evitar uma enxurrada de mensagens sem objetivo jornalístico e não gerar frustrações na audiência. Diga sobre quais temas e histórias o meio costuma produzir conteúdo.

Respostas ao público. Você conseguirá responder todas as mensagens que chegam? Caso não consiga, escreva isso no texto introdutório, para não gerar uma expectativa de interação que sua equipe não pode cumprir. 

Perguntas objetivas e subjetivas. Prepare perguntas de acordo com os interesses e histórias que o meio quer receber. Elas podem ser objetivas (ex: sobre qual tema é sua história? Saúde/ Educação/ Política) ou subjetivas (ex: o que você gostaria de nos contar?). Também pergunte como pode entrar em contato com a pessoa, caso precise de mais informações. 

Público offline. Considere que nem todas as pessoas têm acesso à internet e busque outras formas de distribuição dos questionários. Pode ser em parceria com outros veículos de comunicação, por meio de folhetos impressos ou por meio de organizações locais e eventos presenciais.

Limpar os dados. Depois de preenchidos, os questionários devem ser sistematizados, isto é, os dados precisam ser classificados, filtrados, rotulados e padronizados, antes de ir para a redação. Isso permitirá que a redação veja de forma mais fácil e rápida quais informações são úteis para quais reportagens. 

Sistema para a redação. É importante pensar em como a redação irá receber esses dados e a notícia de que novas informações chegaram aos questionários. Uma possibilidade é enviá-los por e-mail, outra é usar sistemas como o Slack. Se você souber que um colega está trabalhando o tema, pode enviar diretamente a ele também.

Canais de entrada. Os questionários são um dos canais de entrada de dicas e histórias que podem virar reportagens, mas eles não devem ser o único meio. O público precisa saber por quais outros canais pode mandar os dados. No ProPublica, as mensagens podem chegar por e-mail, Signal, Whatsapp, correspondência ou SecureDrop (para informações confidenciais).   

Dados enviados. Na hora de montar o questionário, não pense só em perguntas abertas e fechadas. Considere um espaço para recebimento de material de apoio, como documentos e fotografias. 

Temas que engajam mais. Analise os dados recebidos e veja quais tipos de assuntos são aqueles que engajam mais a audiência. No ProPublica, eles perceberam que chegaram com frequência histórias sobre saúde, trabalho e a relação da maternidade.

Tomar decisões. Tome decisões sobre que temas cobrir com base nos questionários, se perguntando quais são as histórias que geram mais engajamento, o que as pessoas estão interessadas que seja transformado em pauta, etc. Se a pauta estiver em andamento, o questionário pode ajudar a orientar o trabalho.

Só o começo. As respostas recebidas através dos questionários são apenas a primeira etapa do processo de reportagem para o jornalista. Devem ser usadas como base para iniciar a apuração. Por outro lado, se muitas pessoas enviam informações iguais ou semelhantes, elas ganham força e podem ser complementadas com comprovação.

Links

https://www.propublica.org/getinvolved/send-propublica-story-tips

https://www.propublica.org/article/what-does-engagement-reporting-mean-propublica

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Skip to content