Como mapear redes para encontrar fontes diversas

Tempo de leitura: 2 minutos

Objetivos

. Mapear redes para encontrar fontes que ampliam a diversidade de abordagens nas pautas

. Enxergar, explicar e informar por meio de outras perspectivas principalmente geográficas, raciais, econômicas e de gênero

. Fincar a cobertura naquilo que o público acredita serem as principais questões sobre o tema

. Encontrar fontes que se preocupam com o seu trabalho, mas não estão sendo alcançadas

Referência

Um exercício prático criado por Bridget Thoreson, da consultoria Hearken, especializada em ajudar organizações a engajar seu público e comunidade, com o objetivo de ajudar os repórteres a encontrar pessoas que se preocupam com o seu trabalho, mas não estão sendo alcançadas.

O mapeamento de rede, descrito no guia do The Citizens Agenda, é o processo de literalmente desenhar os grupos que têm interesse no tópico que está sendo coberto. Portanto, de incluir aqueles que normalmente estão fora do público habitual de um meio de comunicação.

Resultados

.Refletir melhor a comunidade

. Encontrar novas histórias, mais próximas do coração das comunidades

. Expansão das perspectivas de uma redação 

. Tornar os jornalistas mais responsáveis e conscientes

Como medir

. Respostas da pesquisa 

. Feedback informal da comunidade

. Engajamento da comunidade na proposição de temas

. Alcance das reportagens produzidas com fontes e perspectivas diferentes

Passo a passo

Tema. Escreva o tema da pauta no centro de uma folha de papel e, em seguida, desenhe uma linha pontilhada circulando-o. 

Fontes recorrentes. Faça um mapeamento de quem são as fontes recorrentes, até óbvias, que você poderia ouvir para a produção. Então, escreva cada um em um espaço da folha, faça círculos e conecte-os ao círculo do tema. 

Outros grupos não entrevistados. Desenhe outros grupos que têm interesse no tópico que está sendo coberto, mas que normalmente estão fora das fontes recorrentes entrevistadas no seu meio de comunicação.

Vá até a comunidade. Aborde um representante desta comunidade. Então, peça ajuda a esse representante para reunir outros integrantes em uma videochamada. Em seguida, pergunte-os sobre quais as dúvidas e frustrações que todos eles têm diante do tema. Ao fim, também peça para eles indicarem quais pessoas ouviriam sobre aquele tema.

Faça pesquisas. Além de ouvir as pessoas em uma videochamada, prepare um formulário com perguntas para essa comunidade e distribua com apoio dos entrevistados, assim você irá conseguir reunir o maior tipo de inquietações e informações possíveis sobre essas pessoas. 

Processo mutável. Entenda que o modelo não funcionará para todos os casos, portanto, o mapeamento de redes deve ser um processo sempre refinado, revisitado e reorganizado. 

Links

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Skip to content