Como mapear redes e distribuir conteúdos em aplicativos de mensagem

Tempo de leitura: 4 minutos

Objetivos

. Gerir a interação com a audiência dentro de aplicativos de mensagem

. Desenvolver um projeto editorial para comunicar conteúdos no whatsapp

Referência

O Checazap foi o primeiro projeto de checagens de notícias a atuar dentro do WhatsApp no Brasil. Desenvolvido pela Escola de Jornalismo da Énois e o Data_Labe, o projeto envolveu dez estudantes de jornalismo das periferias de São Paulo e cinco do Rio de Janeiro. Eles entraram em 370 grupos públicos de WhatsApp, entre agosto e outubro de 2018, para mapear a desinformação circulando, checar e devolver aos grupos a informação correta. As checagens foram publicadas em pílulas de texto e imagem, distribuídas a partir de uma logística reversa da mensagem que buscava furar a bolha de uma rede privada e fechada como o Whatsapp. O projeto também buscou entender como a checagem, quando entregue no mesmo ambiente em que a notícia falsa foi disseminada, poderia gerar uma mudança de comportamento, principalmente em contextos periféricos.

Comunicar-se no Whatsapp ou em outros aplicativos de mensagens não pode ser uma estratégia apenas para estar em mais um canal. No caso do Checazap, por exemplo, o objetivo era entregar a informação onde o público já estava. Isso é relevante, principalmente, para se comunicar com um grupo de pessoas afetadas pela falta de acesso ou pelo acesso limitado por pacotes de dados, já que muitas operadoras têm planos de livre acesso aos dados do Whatsapp.

Resultados

. Alcance de leitores em múltiplos territórios 

. Tornar-se referência dentro dos grupos

. Gestão e operação de conteúdos publicados em grupos de Whatsapp e outros aplicativos de mensagem

. Impacto direto na vida da comunidade

. Informação dada de forma que usuário não seja obrigado a migrar de plataforma

Como medir

  • número de pessoas que assinam a lista de transmissão para receber as mensagens
  • alcance e cliques no link encurtado, como bit.ly, que pode ser enviado junto com as mensagens
  • Análise das interações das pessoas dentro dos grupos

Passo a passo

Definir objetivos. Comunicar no Whatsapp ou em outros aplicativos de mensagem não pode ser uma estratégia apenas para estar em mais um canal. No caso do Checazap, por exemplo, o objetivo do projeto era entregar a informação onde o público já estava. Isso é relevante, principalmente, se você está se comunicando com um grupo de pessoas afetadas pela falta de acesso ou pelo acesso limitado por pacotes de dados, já que muitas operadoras têm planos de livre acesso aos dados do Whatsapp.

Encontrar o público. Faça um mapeamento de grupos de Whatsapp sobre o tema pertinente ao seu projeto. Isso pode ser feito por meio de outras redes sociais, perguntando diretamente à sua rede ou em uma pesquisa em um buscador online. Lembre-se que grupos abertos têm links (https://chat.whatsapp.com/…), mas para grupos fechados você precisará ser convidado.

Pesquisar sobre o público. É preciso identificar as características e comportamentos do público com quem você quer se comunicar. No caso do Whatsapp, uma pesquisa dentro dos grupos que esse público frequenta também se faz fundamental.

Transparência. Seja transparente com as pessoas e integrantes dos grupos que você quer estar. Explique qual é o seu objetivo, a sua intenção. Isso ajuda a estabelecer uma conexão entre as pessoas e o seu projeto, faz elas perceberem a utilidade da sua comunicação. 

Credibilidade. Busque dar um tom profissional ao perfil e às mensagens no Whatsapp ou outros aplicaticos de mensagem justamente para se diferenciar de conteúdos particulares e individuais. Lembre-se que a mensagem pode (e deve) circular para fora dos grupos e queremos manter a confiança das pessoas e o reconhecimento de que a informação é real. Para isso, é fundamental assinar o conteúdo produzido e explicar quem está fazendo. O Whatsapp possui um perfil Business, que também é gratuito, e permite colocar informações detalhadas sobre o projeto e funcionamento. Procure saber quais as políticas existentes em outros aplicativos de mensagem.

Mantenha canais de escuta. Quando as pessoas entendem que podem mandar uma mensagem para você e que irão receber uma resposta, você começa a criar um vínculo. Isso também pode ajudar a educar as pessoas de acordo com o tema que está abordando. No caso do Checazap, além de entregar a informação checada, os checadores ensinavam as pessoas a fazerem verificação de notícias de forma autônoma. Isso gerou um senso de compartilhamento e de comunidade em alguns grupos.

Periodicidade. Verifique a quantidade de conteúdos que você e sua equipe conseguem produzir e o retorno que o público está dando ao conteúdo enviado. Faça alguns testes, como começar com períodos mais largos de entrega de conteúdo, e consulte a sua audiência para saber se dessa forma funciona para ela. 

Cuidado com a linguagem. Quanto mais a sua abordagem está conectada com a linguagem do seu público, melhor tende a ser a recepção dele. No caso do Checazap, a própria linguagem das peças de desinformação serviram de inspiração para criar conteúdos. Foram usadas fotos, cards, memes, emoticons, etc. 

Preste atenção nas métricas. É importante pensar em formas de medir e rastrear o impacto do seu conteúdo no Whatsapp. Para isso, é importante desenvolver estratégias para escutar e conversar com a audiência e também inserir links que permitam essa medição. Essas respostas serão fundamentais para a sustentabilidade e utilidade do seu projeto. No Checazap, existiam duas formas de medir. Uma pelo número de pessoas que assinavam a lista de transmissão, a segunda era um bit.ly que era enviado junto com as mensagens. A partir dele, era possível fazer uma leitura de quantas pessoas clicavam para se aprofundar nas checagens e subdimensionar os compartilhamentos. De maneira qualitativa, a mensuração era feita por meio das interações com o Checazap dentro dos grupos, por meio de como as pessoas se referenciavam ao projeto, se mandavam mensagens para checar, se interagiam, etc.

Dedicação. Como boa parte das interações no Whatsapp são manuais, mesmo no formato business, ter uma pessoa dedicada a participar das conversas que estão acontecendo é fundamental para o sucesso do seu projeto. Caso não haja essa possibilidade, o ideal é criar listas de distribuição, assim se evita a geração de conversas com as quais você não vai conseguir interagir.

Referências. Tudo o que vai pra internet pode ser manipulado, por isso é importante, no caso da criação de conteúdo, pensar em assinaturas e links que possam remeter à fonte oficial. Assim, caso queira, a pessoa que recebeu sua informação pode chegar de volta até você.

Outros canais. A metodologia aplicada no checazap pode ser feita e adapatada para outras plataformas de mensagens instantâneas, assim é possível alcançar públicos diversos de acordo com a ferramenta que o público-alvo da organização mais utilizar.

Links

https://interacoes-ismt.com/index.php/revista/article/view/474

https://counteringdisinformation.org/interventions/checazap

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Skip to content