Como empoderar redações e jornalistas para pensar a distribuição

Tempo de leitura: 3 minutos

Objetivos

. Criar formas de a equipe pensar e pautar a distribuição jornalística

. Potencializar e encontrar novas formas de distribuir seus conteúdos

. Identificar habilidades dentro da equipe

Referência

Para que a distribuição jornalística possa ser cultuada em um espaço de produção de conteúdo, é preciso que exista um empoderamento e uma valorização da equipe que esteja na função de planejamento e execução de distribuição. Esta metodologia, pensada a partir das experiências da Énois, tem o objetivo de mostrar formas de ajudar e empoderar a equipe a pensar e pautar a distribuição jornalística. A ideia é potencializar e encontrar novas formas de distribuir seus conteúdos e especialmente saber identificar habilidades dentro da própria equipe para isso.

Resultados

. Uma equipe que consegue identificar formas de distribuir conteúdo

. Ampliar a capacidade de distribuição da sua redação

. Fazer o conteúdo chegar e ser consumido pelo público 

Como medir

. Alcance das produções realizadas pela equipe

. Identificação de novos formatos de distribuição

. Formas como a equipe lida com a distribuição

Passo a passo

Diversidade de alcance. A diversidade dentro da redação precisa ser de formatos e alcance, além de ser sobre raça e gênero. Você precisa alcançar as pessoas com os conteúdos que produz. 

Análise de distribuição. Comece fazendo uma análise de como a sua redação e você  distribuem os conteúdos que produzem. Quais os formatos? Como eles chegam no público? Quais aqueles que geram maior engajamento? Tente extrair padrões e entender o porquê disso.

Mapear o entorno. Distribuir o conteúdo é fazer a equipe mapear o entorno, isto é, não só mapear as formas tradicionais de distribuir conteúdos jornalísticos ou os meios tradicionais, mas aquilo que a cerca: o território onde vivem, as pessoas que conhecem, as necessidades do público do veículo, etc.

Veja a equipe como fonte de distribuição. Enxergue a sua equipe e cada pessoa dela como uma fonte de distribuição, isto é, como uma pessoa que pode distribuir em um formato único um conteúdo, a partir das suas experiências pessoais de vida e suas habilidades.

Conheça a sua equipe. Conheça cada integrante da sua equipe. Questione o que a pessoa gosta de fazer, quais as habilidades tem para além do jornalismo, o bairro onde mora, como se desloca, como são as refeições dela, quais as vivências e histórias que guarda do próprio território. Dê importância e valorize essas experiências como potência para a distribuição. Dessa forma, você evitará colocar demandas para as pessoas que não estão alinhadas aos interesses delas, além de conhecer os pontos positivos e negativos do seu grupo.

Demonstre admiração pela sua equipe. Mostre que você se importa e reconhece o esforço das pessoas. Se você gostou de uma pauta, verbalize e incentive as pessoas a realizá-las. Pensar a distribuição envolve trabalhar as inseguranças, já que muitas vezes os jornalistas acreditam que precisam estar em lugares específicos, renomados, para ser um profissional relevante. Envolve fazê-los enxergar o potencial de comunicar para o seu próprio território.

Valorize a diversidade regional. A diversidade regional das pessoas que trabalham conosco traz conhecimentos sobre formas de distribuição não mapeadas pela redação, por falta de experiência em alguns territórios. Você pode descobrir que uma comunidade ribeirinha usa mensagens dentro de garrafas para se comunicar ou que determinado grupo coloca panfletos debaixo da porta, entre outros exemplos.

Apoie financeiramente as ideias. Crie uma estrutura que consiga dar suporte financeiro para as ideias de distribuição trazidas pela sua equipe. É importante que, além de mapear o que as pessoas podem fazer e como o seu público consome notícias, você consiga financiar a execução das ideias. Isso evita gerar ansiedade e frustração nas pessoas demandando mais uma atividade, pensar a distribuição e, ao fim, não executar as propostas. 

Estratégia financeira. Uma das formas de garantir a viabilidade de execução das propostas de distribuição da sua equipe é prevendo uma verba para essa etapa da distribuição no orçamento. Isso também ajuda as pessoas a entenderem que, nem sempre, elas precisam correr sozinhas atrás de tudo. Você pode fazer cálculos que prevejam um valor para cada pessoa aplicar na distribuição das suas produções. Quanto mais ideias você consegue abraçar, mais chances você tem de dar continuidade ao seu veículo.

Não é sobre marketing. Lembre-se, distribuição não é sobre marketing, é sobre chegar nas pessoas. É sobre identificar as necessidades de uma população específica e pensar, ter a capacidade de dar resposta a isso. 

Não é sobre inovação. Distribuição também não é sobre inovação ou sobre encontrar a forma mais criativa de entregar um conteúdo. É um jeito de usar, reutilizar, a forma como as pessoas já consomem e acessam informação. O que é preciso, no lugar de inovar, é resgatar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Skip to content